Category Archive : ECONOMIA

Caixa divulga calendário de pagamentos do Bolsa Família em 2021

Responsável por operar o Bolsa Família, a Caixa Econômica Federal divulgou hoje (4) o calendário de pagamentos do benefício social para 2021. Em janeiro, o pagamento será feito entre os dias 18 e 29.

Programa com 14 milhões de famílias inscritas, o Bolsa Família paga os beneficiários conforme o dígito final do Número de Identificação Social (NIS). Os depósitos ocorrem sempre nos dez últimos dias úteis de cada mês.

Confira o calendário de pagamento para todos os meses do ano na tabela abaixo:

Calendário do Bolsa Família 2021

Em dezembro, a Caixa começou a migração dos beneficiários que ainda sacam o Bolsa Família exclusivamente com o Cartão Cidadão para a conta poupança social digital. Usada no pagamento do auxílio emergencial, a conta poupança permite o pagamento de boletos e de contas domésticas (como água, luz e gás).

A conta poupança digital também permite a realização de compras com cartão de débito virtual pela internet e com código QR (versão avançada do código de barras) em lojas físicas com maquininhas de estabelecimentos parceiros. A poupança digital permite até três transferências gratuitas por mês para qualquer conta bancária.

Segundo o cronograma divulgado no fim do ano passado, os beneficiários com NIS de finais 9 e 0 começaram a receber o Bolsa Família pela conta poupança social digital em dezembro. Em janeiro, o pagamento pela plataforma passará a ser feito para os inscritos com NIS de finais 6, 7 e 8.

Em fevereiro, a Caixa abrirá contas poupança digitais para os beneficiários de NIS com finais 3, 4 e 5. Em março, será a vez dos inscritos com NIS de finais 1 e 2 e os Grupos Populacionais Tradicionais Específicos (GPTE), categoria que inclui indígenas, quilombolas, ribeirinhos, extrativistas, pescadores artesanais, comunidades tradicionais, agricultores familiares, assentados, acampados e pessoas em situação de rua.

Edição: Aline Leal

“Vendas no Natal devem cair 22% em 2020 em comparação com o mesmo período do ano passado”, diz gerente-executivo da CNDL

As vendas no comércio durante o período do Natal deste ano devem movimentar cerca de R$ 38 bilhões na economia brasileira. A estimativa é da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). O valor é cerca de 22% menor do que o movimentado no mesmo período do ano passado e é reflexo direto dos impactos da pandemia da Covid-19.

Em entrevista exclusiva do portal Brasil61.com, o gerente-executivo da CNDL, Daniel Sakamoto, afirmou que apesar da perda em relação a 2019, diante do contexto de crise sanitária mundial, o valor é importante para a economia brasileira. Segundo Sakamoto, com base em uma pesquisa da CNDL e da Offer Wise Pesquisas em todas as capitais, 54% dos consumidores em território nacional devem ir às compras neste Natal.

“A gente sabe que esse foi um ano atípico, difícil, em que a pandemia causou muito problema na saúde e na economia brasileira. O comércio teve um impacto negativo muito grande nos meses de março, abril, maio e junho. A partir de agosto, as coisas começaram a melhorar. Acreditamos que esse valor (R$ 38 bilhões) vai amenizar o prejuízo que os comerciantes tiveram durante o ano. Não vai ser suficiente para ninguém sair feliz ou comemorando, mas é suficiente para trazer de volta um pouco de otimismo e esperança para um 2021 melhor. Acreditamos que é um número bom dentro do contexto que vivemos atualmente”, diz Sakamoto.

Com a pandemia ainda em alta no País, Sakamoto destaca que as recomendações de segurança contra a Covid-19 permanecem as mesmas. Quem for às compras, deve estar de máscara. Assim como os lojistas que irão receber os consumidores. “Distanciamento, máscara, álcool em gel, cuidado nos provadores, limitar o número de pessoas dentro da loja. O empresário tem condições de implantar esses protocolos e é importante que o consumidor faça sua parte também”, destaca.

A necessidade de distanciamento social levou a população à internet em busca de ofertas ao longo do ano. Na avaliação de Daniel Sakamoto, o comércio online deve ganhar mais espaço na escolha do consumidor na hora de comprar. “A pandemia acelerou o e-commerce no Brasil. Uma vez que o brasileiro se acostumou a fazer compras pela internet, esse é um meio que deve ficar. O lojista tem que se acostumar”, ressalta. “Nas compras online, os consumidores devem pesquisar se a empresa tem registro no Procon e verificar a reputação das lojas em sites de avaliação”, completa.

Neste ano, os cosméticos se juntam ao vestuário, calçados e brinquedos como principais produtos vendidos na época de Natal. “A novidade é a entrada dos cosméticos. De alguma forma é um impacto da pandemia, as questões dos cuidados pessoais. Esses quatro setores talvez tenham sido os mais afetados negativamente durante os meses de isolamento e de comércio fechado. É um alento para os comerciantes desse setor”, avalia Sakamoto.

Quanto aos empregos no segmento do comércio, Sakamoto espera que sejam geradas vagas de trabalho temporário, embora a expectativa seja baixa em comparação com o Natal do ano passado.

“A gente vê que a tendência de vagas temporárias existe. O comércio, apesar de todas as dificuldades, está contratando, mas é difícil ter um comparativo em relação a 2019. Nossa expectativa é de que não tenhamos um número de vagas temporárias como foi no ano passado. Todo trabalho é bem-vindo para tentar amenizar os efeitos da pandemia”, diz.

“Todo mundo acredita que 2021 vai ser melhor que o ano atual. No entanto, temos incerteza quanto ao rumo da economia e da pandemia. Mas entre os empresários lojistas, há um otimismo de que o pior já passou”, completa Sakamoto.

Fonte: Brasil 61

Lojas C&A abrem 4 mil vagas temporárias para festas de fim de ano

C&A Brasil está com cerca de 4 mil vagas temporárias abertas para todas as suas 295 lojas espalhadas por todo o Brasil. As contratações fazem parte das iniciativas da companhia para otimizar e reforçar a operação para o Natal e Ano Novo, datas comerciais de grande relevância para o varejo brasileiro.

As oportunidades são para as posições de operador de loja e caixa, com variações de contratos entre 30 a 14 dias com possibilidade de efetivação. Os interessados devem se cadastrar até o dia 11 de dezembro por meio do site Emprego Ligado e as agências parceiras GigroupGlobal e Luandre.

Para as vagas temporárias, é necessário ter mais de 18 anos e Ensino Médio completo. Não é preciso ter experiência anterior. Como benefícios, a empresa oferece vale-transporte, refeição no local e treinamentos variados para as funções a serem realizadas.

CAIXA ANUNCIA NOVAS MEDIDAS DE ESTÍMULO À ECONOMIA BRASILEIRA

Banco disponibiliza R$ 33 bi extras, totalizando R$ 111 bi em ações

contra os efeitos do coronavírus

A CAIXA anuncia nesta quinta-feira (26) uma série de medidas para ajudar a combater o efeito do novo coronavírus na economia e reforçar a liquidez. Confira as novidades:

  • Reforço de R$ 33 bilhões na economia, totalizando R$ 111 bilhões em recursos para o combate aos efeitos da pandemia;
  • Novas Reduções das Taxas de Juros
  • Aumento da Pausa do Pagamento
  • Financiamento a Estados e Municípios
  • Operacionalização da suspensão do Recolhimento do FGTS
  • Apoio às Micro e Pequenas Empresas

Reforço de Liquidez na Economia:

 

A CAIXA irá disponibilizar R$ 33 bilhões adicionais para reforçar a liquidez da economia, totalizando um incremento extra de R$ 111 bilhões em decorrência dos impactos do coronavírus – outros R$ 78 bilhões foram anunciados na semana passada. Os novos recursos serão disponibilizados para capital de giro, compra de carteiras, crédito para Santas Casas, além do crédito agrícola.

 

 

Reduções das Taxas de Juros:

 

Outra novidade é que a CAIXA diminuiu as taxas de juros do cheque especial Pessoa Física (PF), parcelamento de fatura do cartão de crédito, capital de giro, CAIXA Hospitais, CDC e penhor.

Os empréstimos CAIXA Hospitais passam de 0,96% a.m. para 0,80% a.m. (redução de 16,7%); no CDC, de 2,29% a.m. para a partir de 2,17% a.m. (queda de 5,2%); e, no penhor, de 2,10% a.m. para 1,99% a.m. (redução de 5,2%). Já no Crédito Rural, as taxas reduzidas são a partir de 3,9% para Pessoas Físicas e a partir de 3,7% para Pessoas Jurídicas. No caso do capital de giro, a taxa máxima era de 2,76% ao mês e passa a ser de no máximo 1,51% ao mês. Para estas linhas, as condições já estão em vigor.

No cheque especial PF, para clientes com salário na CAIXA, as taxas que são de 4,95% a.m. cairão para 2,90% a.m. (redução de 41,4%); o parcelamento de fatura do cartão de crédito que é na média 7,7% a.m., passará a ser a partir de 2,90% a.m. (redução de 62,3%). As condições especiais do Cheque Especial e Cartão de Crédito serão válidas por 90 dias a partir de 01/04/2020.

Aumento da Pausa do Pagamento de 60 para 90 dias nas Operações de Crédito:

 

  • Crédito Pessoa Física
  • Crédito Pessoa Jurídica
  • CAIXA Hospitais
  • Crédito Habitacional Pessoa Física e Pessoa Jurídica

 

 

Como solicitar as pausas:

 

CDC e Crédito Pessoal: Os clientes interessados devem acessar o site www.caixa.gov.br/caixacomvoce e selecionar a opção desejada a partir de 31/03/2020.

Parcelamento de faturas do cartão de crédito: É possível solicitar o parcelamento com taxas reduzidas por meio do App Cartões CAIXA ou por meio das Centrais de Atendimento dos cartões de crédito. Cartões Azul, Nacional, Internacional, Gold e Mais: 4004 9009 (capitais e regiões metropolitanas), 0800 940 9009 (demais localidades); cartões Platinum, Grafite, Visa Infinite, MasterCard Black e Elo Nanquim:  4004 9001 (capitais e regiões metropolitanas), 0800 940 9001 (demais localidades).

Contratação de CDC e Cheque Especial: essas operações podem ser realizadas com taxas reduzidas também no portal CAIXA Com Você. Outros canais disponíveis são o Internet Banking (para cheque especial e CDC); 0800 726 0505, opção 2 para CDC.

Pausa no Giro CAIXA Fácil e Crédito Especial Empresa: também deve ser realizada por meio do portal.

Contratação Giro CAIXA Fácil: Pode ser solicitada no Internet Banking ou no telefone 0800 726 0505, opção 2.

Pausa no Crédito Imobiliário: a partir de agora, poderá ser solicitada pausa emergencial de até três prestações para financiamentos habitacionais e Crédito Imóvel Próprio (Home Equity) sem sair de casa, por meio do aplicativo Habitação CAIXA, dos telefones 3004-1105 e 0800 726 0505, opção 7.

Para pausa no financiamento habitacional Pessoa Jurídica é necessário contatar o gerente de relacionamento para realizar a solicitação. A possibilidade de pausa emergencial nos financiamentos habitacionais Pessoa Física ou Pessoa Jurídica vale para contratos que estejam adimplentes ou com até dois encargos em atraso, exceto para os casos em que o cliente esteja utilizando o FGTS para pagamento das prestações mensais. Para os contratos com mais de 2 encargos em atraso são disponibilizadas alternativas de renegociação através dos canais de telesserviço ou de contato com o gerente de relacionamento. Todos os clientes que solicitaram anteriormente a pausa emergencial terão a interrupção alterada automaticamente para três encargos e receberão um SMS confirmando a mudança, não sendo necessário efetuar novo pedido.

A CAIXA registrou, até o dia 26 de março, mais de 722 mil pedidos de pausa do crédito imobiliário.

Financiamento a Estados e Municípios:

 

A CAIXA aumentou ainda o volume de empréstimos para os Estados e Municípios, como o Financiamento à Infraestrutura e Saneamento Ambiental (FINISA), uma das linhas mais procuradas pelas entidades públicas, e os financiamentos com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O limite foi aberto no dia 02 de março e, em apenas 15 dias, foram contratados R$ 3,35 bilhões (246 operações com 195 tomadores). Ainda estão em estudo na CAIXA 324 operações de financiamento, um total de R$ 5,16 bilhões.

Também para estimular a economia nacional, a CAIXA disponibiliza assistência técnica gratuita que acompanha e orienta o ente na equacionalização da sua saúde financeira para que possa retomar condições de financiamento.

Suspensão do Recolhimento do FGTS:

 

  • Suspensão do recolhimento do FGTS em março, abril e maio de 2020, em atendimento à MP 927/20
  • Até R$ 25,5 bilhões de recolhimento podem ser suspensos
  • Parcelamento dos meses não recolhidos em até 6 vezes
  • Prorrogação da validade do Certificado de Regularidade do FGTS por 90 dias

A CAIXA orienta que os empregadores que quiserem suspender o recolhimento do FGTS das competências de março, abril e maio de 2020, sem a cobrança de multa e encargos, devem declarar as informações dos trabalhadores via SEFIP. Os Certificados de Regularidade do FGTS – CRF vigentes em 22/03/2020 ficam prorrogados automaticamente por 90 dias. Já o recolhimento das competências suspensas será dividido em seis parcelas e a primeira parcela vence somente em 07 de julho de 2020. A suspensão do recolhimento não impede a emissão do CRF.

 

 

Apoio às Micro e Pequenas Empresas:

 

  • Linha de capital de giro para manutenção da folha de pagamento das empresas
  • Parcerias para ampliação das linhas de crédito (cadeia produtiva, fornecedores etc.)
  • Antecipação de recebíveis de cartões com taxas reduzidas
  • Parceria com SEBRAE e CAIXA para apoio às MPEs – linha de crédito para micro e pequenas empresas e atuação do SEBRAE com crédito assistido aos clientes

 

Mais informações:

Twitter.com/caixa
Facebook.com/caixa
Instagram.com/caixa
Youtube.com/user/canalcaixa
Tel 0800 726 8068

Pequenos negócios de impacto social fazem a diferença no combate ao Coronavírus

Atuação do segmento busca soluções para dificuldades enfrentadas por grupos de risco

O avanço da pandemia do Coronavírus no país mudou a rotina das pessoas após a determinação do fechamento do comércio em muitas capitais brasileiras e a recomendação de isolamento social preventivo. Os reflexos são sentidos em todos os aspectos da sociedade, desde os sociais aos econômicos. Em meio ao clima de apreensão e incerteza, os pequenos negócios considerados de impacto social encontram espaço fértil para atuação no combate aos prejuízos causados pela doença.

De acordo com a analista do Sebrae, Valéria Barros, a missão dos negócios sociais vai muito além de gerar lucro. “Esse tipo de negócio traz um impacto positivo que gera valor de forma coletiva ao buscar soluções para problemas da sociedade”, explicou. Mapeamento realizado em 2019 pela Pipe Social revelou que a maior parte dos negócios de impacto social no país estão localizados na região Sudeste e atuam nas áreas de tecnologia verde, com ações na preservação do meio ambiente, e cidadania, oferecendo soluções de inclusão social, questões de diversidade e gênero, dentre outras.

Em Maceió (AL), a psicóloga Vanessa Fagá e a arquiteta Evelyne Cruz criaram a startup Clube Vida Criativa para promover a ocupação e o bem-estar para o público acima dos 60 anos. Em funcionamento desde agosto do ano passado, a empresa oferece atividades, como oficinais criativas e eventos culturais para idosos na capital alagoana. Diante da crise provocada pelo novo Coronavírus, as empreendedoras estão oferecendo diversos serviços para minimizar os prejuízos causados pela doença, que impõe isolamento social, principalmente de idosos, considerados um dos grupos de risco.

Com o uso intenso das principais redes sociais e ferramentas disponíveis na internet, a empresa tem oferecido lives semanais sobre temas de interesse para os idosos em quarentena, realização de oficinais por meio de videoconferência, aulas on-line de zumba  e contato constante por meio de grupo no Whatsapp, com compartilhamento de dicas, orientações sobre como enfrentar o período sem perder qualidade de vida. “Tivemos boa receptividade e ao contrário do que muitos pensam, eles conseguem acompanhar e estão muito conectados aos meios digitais”, contou Vanessa, uma das sócias do negócio. Segundo ela, os serviços on-line não têm gerado lucro, mas tem gerado relacionamento e conexão com os clientes, algo considerado muito importante neste momento.

Além das atividades online, a startup tem oferecido serviços de auxílio para compras e cuidados para os pets, já que muitos idosos possuem animais de estimação e não podem sair de casa. O clube também está cadastrando profissionais autônomos de confiança para oferecer serviços de cabeleireiro, encanador, eletricistas, dentre outros. “Nossa ideia é criar uma rede de apoio positiva para nosso público-alvo que está mais vulnerável e precisa de um atendimento diferenciado com muito carinho”, contou.

O Sebrae tem intensificado ações para estimular, atender e apoiar empreendedores de negócios sociais que buscam agregar uma nova dimensão ao ambiente empresarial de forma sustentável e ganhos coletivos, principalmente neste momento de crise. No Portal Sebrae é disponibilizado, de forma gratuita, o curso on-line “Como montar um modelo de negócio de impacto social” com tutoria incluída. Além disso, o Sebrae lançou um portal com informações e orientações para empresários sobre como reagir à pandemia. Para conhecer mais, clique aqui.

Medidas econômicas buscam minimizar crise por Covid-19

Simples Nacional tem prazos de pagamento postergados e BC anuncia redução de compulsório; BNDES suspende pagamentos de empréstimos e anuncia recursos para micro, pequenos e médios
A Resolução nº 152, de 18 de março de 2020, prorrogou o prazo para pagamentos dos tributos federais para empresas enquadradas no Simples Nacional. As prorrogações seguem um calendário conforme o período de apuração, e postergam para outubro, novembro e dezembro os vencimentos de 20 de abril, 20 de maio e 20 de junho.

Já o Banco Central decidiu reduzir a alíquota do compulsório sobre recursos a prazo de 25% para 17%. “A medida é temporária, e faz parte de um conjunto de ações para minimizar os efeitos que teremos do Covid-19 na economia brasileira”, explica Marcelo Godke Viera, especialista em Direito dos Contratos, professor do Insper e da Faap e mestre em Direito pela Columbia Univesity School of Law (EUA).

O Conselho Monetário Nacional também anunciou medidas, a fim de reforçar a capacidade de resposta ao regular o funcionamento do Sistema Financeiro Nacional. “A Resolução nº 4.785 autoriza a captação de Depósito a Prazo com Garantia Especial do Fundo Garantidor de Crédito. O mesmo instrumento foi usado na crise de 2008”, comenta Godke.

Para os micro, pequenos e médios, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social divulgou a suspensão temporária de pagamentos de parcelas de financiamentos diretos e indiretos e a ampliação do crédito no valor de 5 bilhões de reais.

Marcelo Godke está disponível para comentar essas e outras medidas econômicas.

Imposto de Renda 2020: período de isolamento é oportunidade para organizar dados e não cair na malha fina

Especialista do Sicredi explica o passo a passo para fazer a declaração que deve ser entregue até o dia 30 de abril

O período de isolamento causado pela pandemia da COVID-19 (coronavírus) obrigou muitos profissionais a adotarem o home office ou entrarem em férias coletivas. O fato de estar em casa pode ser uma oportunidade para organizar as finanças e acertar as contas com o “leão”.
Segundo o diretor de Desenvolvimento da Central Sicredi PR/SP/RJ, Adilson Felix de Sá, o período pode ser propício para organizar os dados, juntar documentos e antecipar a entrega da declaração. “Durante a quarentena é mais fácil encontrar documentos e evitar erros, além de conseguir fazer a entrega antes do prazo final. Quem se antecipa tem a vantagem de receber antecipadamente a restituição do Imposto de Renda, caso houver, e esse pode ser um bom recurso para investimentos”, explica o diretor. Lembrando que idosos, deficientes físicos ou mentais e portadores de doença grave têm prioridade no recebimento da restituição.
Neste ano, a Receita Federal espera receber cerca de 32 milhões de declarações até o final do prazo, marcado para o dia 30 de abril, com possibilidade de adiamento. Para evitar surpresas, O Sicredi separou algumas dicas para facilitar o preenchimento pelos contribuintes:
Você precisa declarar?
É importante lembrar que precisa entregar o IR quem se enquadra nos quesitos abaixo:
– Em 2019, recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 e, em relação à atividade rural, obteve receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50;
– Possui, em 31 de dezembro de 2019, propriedade de bens ou direitos, de valor total superior a R$ 300.000,00;
– Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima de  R$ 40.000,00;
– Realizou operações na Bolsa de Valores.
Separe os documentos e não deixe para última hora
Antes de começar a declaração é preciso separar os documentos necessários para facilitar o envio de informações. Esse planejamento facilita o processo e ajuda a diminuir divergências nos dados, primeiro passo para não cair na malha fina. “Vale lembrar que o contribuinte pode importar os dados da declaração feita em 2019, o que facilita o preenchimento. Nesse caso, é importante ficar atento em caso de retificação, valendo o número do recibo da última versão enviada para a Receita”, explica Félix de Sá, que ainda indica os documentos mais importantes para a declaração:
– Informe dos rendimentos do ano de 2019. Normalmente oferecida pelo empregador, também contém dados como contribuições ao INSS, Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF);
– Informe de rendimentos da instituição financeira com a qual opera;
– Informe de rendimentos de corretoras;
– Comprovantes de rendimento ou pagamento de aluguéis;
– Número do CPF dos dependentes;
– Comprovantes de despesas médicas, odontológicas e escolares do contribuinte e dos dependentes;
– Doações a instituições com deduções legais;
– Comprovantes de contribuições de Previdência Privada na modalidade Programa Gerador de Benefício Livre (PGBL).
– No caso de compra ou venda de bens, como carros ou imóveis, é necessário lançar na declaração a inclusão ou a retirada do bem, junto do cpf da pessoa que comprou o patrimônio ou de quem foi comprado, para evitar problemas na comparação com declarações anteriores.

Aproveite o dinheiro extra para investir
Em 2020, a  Receita Federal informou que reduziu o números de lotes de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física, de sete para cinco e que irá antecipar o pagamento das restituições. O primeiro lote está programado para o dia 29 de maio e o último previsto para 30 de setembro.
“Essa é uma boa notícia para quem tem valores a restituir. Nesses casos uma boa opção é aproveitar o dinheiro extra para investir ou poupar. O associado do Sicredi, por exemplo, pode informar na declaração o número da conta poupança e assim fazer uma reserva financeira segura e imune às oscilações da Bolsa de Valores”, finaliza o diretor.

Sobre o Sicredi
O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.800 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br).
*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.
Facebook | Twitter | LinkedIn | YouTube |Instagram

Brasil tem potencial técnico de energia eólica no mar de 700 GW

Read More